quarta-feira, 29 de junho de 2011

"Mati a Formiga"

          Haviam 2 irmãos (5 anos) gêmeos, geminianos, gênios; conversando sobre a vida de uma formiga, se durava dias, meses ou milênios. Tanto um quanto o outro – os 2 cadiombleiros – especulavam se a formiga os via lá no alto como eram eles de fato; se tinha consciência do que existia ao seu redor, e de algo maior. Um deles, então, chegou mais perto, analisou o inseto, e lhe porrou com um golpe fatal e certo. O outro sentiu um nó na barriga – “Que dó da formiga!” – gritou ele em extrema agonia. O primeiro nada sentia, olhava a formiga, enquanto obtinha sua primeira epifania. "Nossa! Eu matei o bicho consciente disso por meu próprio juízo e capricho." Pensou o menino. "O que diferencia esse sacrifício de Deus e seu santo ofício?" Pensou denovo. "Seria eu como um Deus para a formiga ao decidir sua vida?" Tomou-lhe um soco. "Ela era minha amiga!" Falou-lhe o outro. 

          A retórica do menino - claro - tinha certo sentido. Com certeza nos remete à algo muito curioso e poderoso sobre a verdadeira essência que nós somos. Nós temos consciência da vida que vivemos - Homo Sapiens Sapiens - pois somos uma espécie que sabe que sabe. Temos também um poder, que independente de qualquer crença, é um fato - o livre arbítrio. Isso significa que podemos decidir o que vamos fazer a cada segundo que se passa, e essas decisões vão além do comando das nossas vidas singulares como indivíduo, pois podemos também decidir a vida dos outros. Tanto os animais, quanto os vegetais, quanto os nossos próprios irmãos da mesma espécie, enfim, todos os seres vivos estão - em última instância - submetidos as nossas decisões individuais. Percebem, meus alunos, quanto poder temos em nossas mãos? Porque vocês sabem - a responsabilidade vem do poder (liberdade/livre arbítrio). Quanto mais poder você tem, mais livre você é, mais responsabilidade você tem. Se podemos decidir a nossa vida, podemos decidir a vida das outras criaturas (o que nos difere é a consciência!), podemos até conceber a vida de um outro ser tão poderoso, e livre, e responsável quanto nós, por meio do sexo (UNIÃO dos corpos de gêneros opostos), quanto poder temos em nossas mãos? QUEM afinal somos nózes?

http://www.sajnoticias.com.br/2013/06/21-animais-incriveis-que-voce.html

2 comentários:

  1. o que nós temos feito com nossa responsabilidade, ó Garóti, meu pupilo mágico?

    ResponderExcluir